29.12.09

Elegância, ousadia e linguagem

Se você acredita que o avesso, o absurdo, e o nonsense são próprios da existência humana, certamente terás se identificado com os escritos anteriores. Esta idéia fundamentou estes primeiros meses do blog e certamente permanecerá.

Pretendo falar de coisas contrárias: em uma época de comemorações e férias, situarei uma escola; sob uma roupagem de fragilidade, será mostrado ações que denotam coragem e ousadia. São estes paradoxos que trarão significado à obra que pretendo expôr.
Deslocarei as comemorações de finais de ano para um contexto em que não havia nada a ser celebrado.


É a partir do desejo em explorar o desconhecido que inicia-se Freedom Writers | Escritores da Liberdade |. Para Erin Gruwell, | Hilary Swan | a possibilidade de descobrir o novo se mostrava inigualável. Ao ser contratada em uma High School americana, ela se insere em um universo intrigante mesclado pela diferença, pela divergência de saberes. Seus intuitos de transformação seriam defrontados com a concepção desanimadora dos demais professores, com olhares enigmáticos daqueles que não a compreenderiam.
Animada? mais do que isso: disposição e entusiasmo seriam tendências. É dado o sinal, o cenário se altera.                              
                                                         
Se de fato as primeiras impressões são aquelas que ficam, os objetivos de Erin se destituiriam. Em uma atmosfera hostil, marcada por olhares fúnebres e descontentes, Erin enfrentou seus primeiros dias na escola. Para os alunos, ela significava "apenas mais uma", que com o passar dos dias substituiria aquele sorriso tênue por palavras ásperas e desconfortantes.
É significativo investir naqueles que não querem aprender ou mudar? Para Erin, sua atuação não se limitaria a exposição de conteúdos, mas sim ao reconhecimento de um saber desconhecido: a vida daqueles alunos. Eva, Jamal, Gloria, Ben... gradualmente eles foram conhecidos enquanto singulares. Sabem aquela velha história "cara feia é fome?" haha, Erin pautou-se nessa concepção e seguiu adiante.

                             

Os elementos que ela possuía eram simples: criatividade, bom humor e linguagem. Que tríade! com tamanha elegância, Erin buscou um modo de subjetivar aquela situação, era preciso não apenas dar possibilidade de fala àqueles presentes, mas reconhecer sua condição enquanto sujeitos. Portanto, foi preciso apropriar-se desta realidade local: som, ritmo, expressões corporais, gírias, anseios.

Qual a consequência? deparou-se com o fantasma.
Refiro-me ao conflito, às marcas terrificantes das próprias experiências daqueles alunos: crime, violência, gangs. Agora, era preciso moblizar este saber.
Os alunos não viriam ao conhecimento de seus fantasmas sem antes angustiarem-se frente a este saber. Foi dado-lhes um caderno no qual poderiam escrever sobre o que lhes fora preferível (associar-livremente, rs). Erin teria acesso a estes cadernos apenas mediante o consentimento prévio. Ela foi muito fina.


As transformações e a alteração de alguns fatos na vida não são meras sucessões causais. Acredito que é preciso investir muito, rever valores, compreender um outro-não-coisificado, portanto, não passivo de ser jogado fora. É um exercício contínuo. "UM BRINDE À MUDANÇAS" - abriram-se as cortinas ao novo, ao encantador, mas real.
No retorno ao segundo semestre daquele ano, os alunos se depararam com um novo setting, Erin propôs que cada um fosse à frente e escolhesse uma taça com refrigerante para comemorar as pequenas mudanças que eram capazes de observar em suas vidas. Foi uma experiência de escuta, de empatia, de reconhecer o sofrimento alheio e buscar uma forma de resignificá-lo.

                              
                              
                              
Miss Erin, como assim a chamavam, conduziu aqueles alunos ao conhecimento de si mesmos. Retirou-os de uma condição alienante, mostrando-lhes que o outro também sofre e que, apesar das impossibilidades, era possível enxergar valor em suas próprias vidas.

A ação da professora assemelha-se à posição do analista. É preciso potencializar o conflito, mobilizando um saber desconhecido para que o sujeito seja capaz de sustentar o próprio desejo. Este ato em si é uma aposta, pois acredita-se que é possível transformar. Para tanto, é preciso haver ações provocativas, ousadas afim de que alguma condição seja modificada.

Este filme baseou-se em fatos reais a partir do livro "The Freedom Writers Diary Teacher's Guide". Saiba mais aqui.
Pois bem, "Escritores da Liberdade" é diferente de tudo o que já escrevi até então. Talvez num tom mais subjetivado, mas que retrata perfeitamente algumas noções que venho apresentando. Os desafios existem para promover uma condição nova, potencializando brindar à transformação.

Um super 2010 a vocês. Que seja um espaço para o novo.

Renato Oliveira

41 comentários:

Vanessa Souza Moraes disse...

Esse filme é muito bacana.

Ela é muito mais do que uma professora.

Grande dica!

Que bom que gostaste do "The pervert´s..." Estou fazendo um box com todos os DVD´s.

Beijos. E obrigada pelo linfo layout do me bloguinho. Cada vez que alguém diz que ele é fofo eu me lembro de você, rs.

Júnia L. disse...

Renato,

Fiz uma busca em vários sites sobre “cats and Hollywood” e o resultado são as fotos que voe viu.
Abaixo segue alguns links de imagens maravilhosas onde astros e estrelas estão com seus gatinhos.
Espero que goste e aproveite ao máximo as imagens. Particularmente as do Brando com seu gatinho são as mais lindas

Beijos

Junia

http://thecatfiles.wordpress.com/page/2/

http://thecatfiles.wordpress.com/category/uncategorized/

http://www.listal.com/list/cats

Fernanda disse...

Ah eu quero um dia ser professora,mesmo que por pouco tempo...acho lindo quando desafios são vencidos=)

e já te mandei o email da entrevista=)

Laís D'Ponte disse...

Olá Renato!!!! =)
Já me indicaram esse filme. Creio que seja muito bom, né? Vou ver se assisto-o!
Gosto de filmes nesse estilo!

Então, eu ainda tô no primeiro ano de Direito (dezoitim, ainda ahauhauau. Tô no início dos estudos) Eu penso que o Direito a Psicologia são duas áreas que permitem a quem as estuda uma ampliação das visões, uma compreensão daquilo que nos cerca.
Acho demais!!

Se tu quiseres, me adiciona no msn para compartilharmos devaneios!

lais_ponte23@hotmail.com

Um abração,

Feliz 2010!

Abdoul Hakime Goul Djounoubi عبد الحكيم گل جنوبی disse...

Puxa, que blogue interessante, conheci pelo da Fernanda. Gostei do texto, descreves bem o filme, o objetivo do cineasta e expôes a tua opinião muito bem. Estou a seguir-te desde já!
Meus parabéns e bom 2010, de janeiro até dezembro, e mais além, toujours à l'au de là...
Au revoir!

Lucas Tiago disse...

Feliz Ano Novo. Gostei do formato do site e coisa e tal. Você é esforçado. Mas agora estou cansado. Também, pudera, com tudo o que tenho passado... Está difícil de ler até uma simples revista... Está tudo muito difícil, pela dor de perder alguém muito importante... Então é isso... O Ano vai virar, virar passado... E eu espero seguir... Seguir sem ser arrastado... Feliz ano novo!

Marcel Hartmann disse...

Esse não é o primeiro filme com essa temática, a dos alunos rebeldes que nem dão bola ao professor e depois acabam sendo conquistados por ele. Mas esse tema é bom de ser abordado, se o diretor souber captar algo de diferente, é claro. Feliz ano novo pra ti também.

Sil disse...

Este filme é espetacular.. perfeito...
Quem não chora???

Aff...
Você em todas as palavras expôs muito bem tudo o que se passa... todos os conflitos raciais, políticos, sociais e amorosos..

É triste também ver que alguém com tanta determinação não teve alguém à seu lado que a compreendesse..

Mas afinal, não é isto que o mundo faz? Maltratam as pessoas cuja compreensão não alcançam... mas depois que morrem, louvam e valorizam...

Ah.. este mundo, estou cansada dele, posso ir embora??

bjos!!

Pedro Gabriel disse...

adorei seu blog! Conheci hoje por acaso. Se é que o acaso existe. De qualquer forma, voltarei mais vezes.

grande abraço,

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Renato,

Eu assisti este filme há anos atrás e, tempos depois, o assisti novamente, por engano, pois não sabia se já o conhecia. Não me arrependi por isto.

Ele é lindo e comovente. E por que não dizer ser uma grande lição de vida fraterna ...?!

Beijos,
Ana Lúcia.
PS: Adorei o seu comentário, lá em meu blog. Renato, já fiz terapias e reconheço em você um talento nato para psicólogo. Fico feliz por você, tão jovem, assim.

Ana Lúcia Porto disse...

Ah!!, antes que me esqueça, você relatou com maestria este filme.

E Feliz Ano Novo, para você também!!

Boas Festas!!

Bjs,
Ana Lúcia.

Cenira de Mello disse...

RENATO!
BRAVO! BRAVÍSSIMO!!! Estou na primeira fila, na platéia, te aplaudindo de pé. Que maravilha Produzir, criar um blog rico e com as interlocuções e experiências extraiu o supra sumo, a essência que é e FAZ TODA DIFERENÇA de árvores, bolinhas e fogos de artifícios. Me presenteia com preciosidades, trabalhar com entretenimento e a mais pura verdade. Caminho para uma ESCOLA que forma cidadãos e não multidões.
Renato. Eu sempre digo que quando escolhemos seguir um caminho o importante é o que se constrói no percurso e não a chegada.
Aqui nesse espaço cultural, educativo todos que postarem aqui, terão a oportunidade de escutarem seus gritos através de seus escritos e ir construindo um novo aprendizado.
Parabéns pelo olhar, por estar a frente do tempo, por abrir oportunidades para o novo.
Amei o filme e a Professora me lembra tu. Ela perseguiu o que acreditava, lutou, enfrentou desafios porque sabia que podia fazer a DIFERENÇA. Ela não só se posicionou como cidadã diante dos estudantes, da escola, do pai e do Marido que não suportou amar o que ela amava.
Grande abraço
Que ANO NOVO, NOVO esse que acaba de Nascer aqui.
parabéns!
Cenira

Sônia Silvino disse...

Renato!
Estou na primeira fila também, mas para te aplaudir. Que belo texto!
Ótima dica! Como prÕ, só posso agradecer a indicação e a tua explanação.
Feliz 2010, meu querido!
Bjkas!!!

Marcia Freddy. disse...

Mais uma vez me encantando com sua maneira de escrever!!
Só tenho que dar meus parabêns!!!

Troca de informações e conhecimentos são as palavras do momentos!

Feliz Ano Novo!!!! =p

Beijos no S2.

“Nós abriremos o livro. Suas páginas estão em branco. Nós vamos pôr palavras nele. O livro chama-se Oportunidade e seu primeiro capítulo é o Dia de ano novo.”

(Edith Lovejoy Pierce)

Pena disse...

Brilhante Amigo:
Sou Professor, mas de crianças do 2º Ciclo do Ensino Básico.
Lido com pré-adolescentes todos os dias.
As minhas aulas são aulas em que aplico muito, mesmo muito, o meu afecto, a minha empatia, a minha compreensão.
Assumi-me no papel de moderador dos debates de ideias.
O que refere neste exímio texto é deveras interessante e surje com uma novidade flagrante: os alunos reagem ao sentimento de uma constante auto-estima reforçada constantemente.
Por último, acrescentaria somente que o tempo de concentração destes jovens dura apenas e, só, 12 a 14 minutos, o tempo do que pretendemos que escutam e façam. O professor deve expor neste tempo a motivação da aula dentro deste limite. O resto, se excede o tempo previsto, não resulta. Entra-lhes informação por um ouvido e sai-lhes pelo outro.
Um Magnífico e espectacular Post.
Abraço amigo de amizade pura.
Parabéns sinceros pela sua preocupação pelos admiráveis alunos e suas formas de direccionarem o seu pensamento precioso.
Com respeito, estima e imensa consideração.
Sempre a admirá-lo.

pena

Adorei.
Bem-Haja, fabuloso amigo de bem.
MUITO OBRIGADO pela amável visita que gostei muito.
Desculpe, se não respondi ou dei opinião sobre o assunto que expõe.
Outras oportunidades surgirão.

Sarah' disse...

Eu curto demais esse filme,
pelo que me parece você curte bastante retrô né?


e mudei o layout do meu blog sim,
que bom que reparou!


bjs e cuida-te.

Cintia Carvalho disse...

Oi Renato!

Seu texto sobre o filme "escritores da liberdade" tá muito bom e ao lê-lo me lembrei de outros dois que falam desse mesmo tema: professores que tentam modificar a vida de "seres humanos" que não conseguem ver nada além de suas duras e difíceis realidades.

As vezes estamos tão presos as dificuldades cotidianas que não conseguimos enxergar algo bom naquilo que temos em nossa frente. Desde novinha aprendi que a "escola" é o lugar onde poderíamos abrir nossa mente e descobrirmos um mundo novo, cheio de idéias, descobertas e possibilidades. Aprender para mim é algo encantador e abre muitas portas. No entanto, a realidade é outra. Principalmente, para jovens de comunidades carentes que vivem em seu cotidiano com: violência, agressões, maus tratos, palavras duras que as colocam para baixo e as fazem se sentir a escória do mundo. Enfim, é difícil reverter esse quadro. Quando um professor se propõe a lecionar nos dias de hj tem de estar preparado para encarar esta realidade. Não é fácil. E a atitude desta professora retrata isso. Dar aulas, ensinar está além da sala de aula e do contéudo a ser apresentado. Lecionar requer atenção, cuidado, carinho, perceber e olhar o outro no intuito de querer o seu melhor sem julgá-lo ou críticá-lo. O incentivar a encontrar dentro de si mesmo "o seu melhor". O filme é brilhante neste aspecto e quando o vi fiquei emocianada e cheguei a chorar. Belo e comovente.

Parabéns pelo texto. Li o anterior e vc conclui de forma bem clara a idéia do primeiro texto.

Ah, ja ia me esquecendo os filmes que falei são: "Ao mestre com carinho" e "O preço do desafio". Se puder veja, são ótimos.

Aproveito para lhe desejar um maravilhosoooooooo 2010.

Um beijinho carinhoso.

Helena Rocha disse...

entaummm inté 2010!!!!

uhullllllllllllllllllll

bjússsssssssssssss milllllllllll

Lena

Reinaldo Glioche disse...

Impressionado não só pelo grau de introspecção proposta pela peça que vc escreveu, mas pela contundência de sua argumentação. Confesso que não me detive a questões tão específicas ao analisar o filme (me ative predominantemente a estrutura fílmica). De qualquer maneira,como vc disse, essa fita é um legítimo ponto de partida para que vc possar seguir "subjetivando" questões tão profundas como o outro,trasnformação e alienação.
Grande abraço e feliz 2010.

Rafael Castellar das Neves disse...

Olá Renato!!

Passei sem querer e gostei daqui...posts muito bacanas...já indiquei para uma amiga da sua área...

Abraço e Feliz 2010...

Sonia disse...

Boa noite, venho aqui para agradecer suas visitas durante o ano de 2009, e desejar que o ano 2010 seja o melhor dos seus melhores anos, que tenha paz, saúde, amor. E que todas as suas aspirações se realizem.

Beijos.

Carol Rezende disse...

Ah, Ribeirão tá chovendo agora! hahaah mas aqui a condição geográfica é depressão, ou seja, moro num buraco ¬¬ Eu amo chuva! (Se você ler meus posts mais antigos, vai saber disso.. hahahah).

Aaah, que bom que voltou ao blog! Até mudou o layout, adorei! Eu quero ler direito depois este post, adoro esse filme! Mas são quase 6h da manhã e eu to morrendo de sono.. hahah então depois comento sobre o filme. Você faz psicologia?

Existe um filme que chama "Como Comer Minhocas Fritas", foi daí que tirei a ideia do nome do blog UHSAHUUHAS Nunca assisti inteiro, passava sempre na HBO, é bem filminho Sessão da Tarde, embora um pouco mais nojento.

Beijoos e feliz ano novo!

Erica Vittorazzi disse...

Renato, que texto mais Lacaniano. Como gosto de vir aquio, voltar e pensar que um 'menino' (posso escrever assim?) de 21 anos pensa e escreve assim. Quem dera o Brasil investisse em outros Renatos! E descobrissem quantas 'ERINS' existem por aí. Mas, não!! 2010 é ano de copa, e falaremos de futebol!!!!

Um ótimo 2010 para vc!!!! Continue assim

Michele disse...

buon anno
ciao
Michele pianetatempolibero

Fernanda disse...

Olá!! Adoro filmes e anotei a dica. Quero também desejar um 2010 super maravilhoso!!! Abraçosss!

Ana Lúcia Porto disse...

Oi meu querido amigo, Renato,

Eu o agradeço pela a amizade que se fez entre nós neste ano que se vai.

É com carinho que o convido para ler o meu último post do ano de 2009.

Beijos e nele estão os meus votos de Ano Novo,
Ana Lúcia.

nega hamburguer disse...

um lugar pra eu me ATUALIZAR. :D

E.Suruba disse...

Eu lembro que assisti esse filme no colégio! é mt bm mesmo!

E.Suruba disse...

Eu lembro que assisti esse filme no colégio! é mt bm mesmo!

Beatrix disse...

Esse filme é um dos meus favoritos,pq aborda todos os lados do cenario.
O fato de que vc não tem que ser algo só pq todos so teu redor são.O de que vc pode mudar,entende?!
O de que vc pode crescer,pode aceitar ajuda e acima de tudo,tem todas as armas,e condições de AJUDAR,aos outros e a si mesmo.

;**

Fátima disse...

Olá Renato, que bom ter nos visitado, nos seguir então é honra pura.
Volto logo para ler tudo, e também te contar algumas. Passei mesmo para te dar um beijo.
Até daqui a pouco.

talita, ta? disse...

Adorei o filme escritores da liberdade, achei muito bom.


Me interessei muito em assistir Não amarás, tem como mandar mesmo?
E filmes do Almodovar, tem?

Cristiano Contreiras disse...

Ah, este é um filme que cativa, conceitua realidade e é interessante refletir. Bela resenha que criou, diferente e bem focada em aspectos importantes.

Há dezenas de filmes semelhantes a ele, se reparar..."ao mestre com carinho" tem algo semelhante, apesar de ter outra abordagem, e outros filmes.

abraço e aparece, sumido!

Pena disse...

Estimado Amigo de bem:
Como já comentei, passo para lhe dar um abraço forte de amizade e desejar-lhe um feliz 2010 na companhia da sua família.
Bem-Haja, notável amigo.
Com respeito, estima e consideração.
Com admiração constante pelo que "confecciona" com um sentimento GIGANTESCO de beleza pertinente, oportuna e actual sempre.

pena

Bem-Haja, espectacular amigo.

Ana Paula Gomes disse...

Penso que tudo que é novo ou misterioso nos fascina, pelo fato de nós tirar da rotina.. sou encantada com tudo isto..

Obrigada pelas felicitações para o novo ano, e desejo a vc tudo em dobro...

feliz 2010...

Gii Dallari disse...

ooi
to seguindo!

vale a pena disse...

Foi um presente "ganhar" o seu blog. Ele é perfeito:bom estilo de escrita, assuntos interessantes, análise crítica de alto nível. Meus parabéns. espero voltar sempre. Leda

Izzy T. disse...

E mais uma vez eu não vi, mas eu verei, pois agora me resta tempo.
Quanto a prova, fui mal, fiquei de DP, o que confesso ser bom, até por que dessa vez quem sabe me entra na cabeça de uma vez.
E 2010 não começou tão bem quanto eu gostaria, mas vou vivendo.
Obrigada a visita, grande beijo!

Rute disse...

Este filme é absolutamente fantástico!
Parabéns pelo blog.
*

Andressa disse...

Este filme é sensacional, mas o blog é mais. Parabéns.

Marcio Nicolau disse...

Inesquecível este filme!